sábado, 19 de janeiro de 2019

Resumo de provas de 2018


Mais um ano passado a correr!
Agora é tempo para registar, uma vez que a memória já começa a baralhar algumas coisa; não só pela idade, mas também pela quantidade de corridas já efetuadas  
Ao longo do ano foram 11 provas, em trilhos e em alcatrão.
A inscrição em provas continua a ter como principal objetivo manter a pressão e motivação, para continuar a treinar!
Quando não tenho provas marcadas no calendário sou mais dado à preguiça… 😊
Boas corridas!


Tempo oficial: 1h 33m 54


  
   
Tempo oficial: 7h 31m 32






Tempo oficial: Não há :)




Tempo oficial: 1h 28m 13




Tempo oficial: 44m 12



1º Trail Freguesia de Arazede - Trilho do Morango


Tempo oficial: 1h 45m 20



  
Tempo oficial: 1h 39m 09





Tempo oficial: 1h 38m 08


  
Tempo oficial (chip): 3h 23m 38






Tempo oficial (chip): 1h 35m 24



Tempo oficial (chip): 43m 48


sábado, 15 de dezembro de 2018

Corrida de S.Silvestre da Batalha.


Hoje foi dia de correr a S. Silvestre da Vila da Batalha.
A pequena vila faz ver assim à grande cidade vizinha de Leiria como se organiza uma prova de atletismo, com quase 600 atletas finalistas!
A Vila da Batalha ganha uma atmosfera muito singular com este evento, conjugando o ambiente do final do dia com as iluminações de Natal e a vista do majestoso Mosteiro, junto ao qual está montado o epicentro da prova.
Mosteiro da Batalha

A prova teve início às 5 da tarde, com alguma luz do dia ainda, terminando já de noite, mesmo até para os primeiros a chegar à meta(igualdade e democracia 😀 )!
A distância de 10 km da prova principal não é definitivamente a minha praia, demasiado rápida para o meu gosto, se bem que podia ir mais devagar, não era uma tragédia, mas quando soa o “tiro” de partida acabo sempre por ir no limite das forças!
 Antes, enquanto  fazia o meu aquecimento e também ao longo da prova ia matutando que a grande maioria dos atletas que por lá andavam já tinham idade para ter juízo, ou por outras palavras, eram quase todos respeitáveis senhoras e senhores quarentões ou até de meia idade (cinquentões ou sexagenários)! 
Obviamente, com cinquenta e um anos de idade ainda se tem um espírito jovem, contudo, o “invólucro” começa a ficar com um aspecto um pouco gasto!
A questão que se coloca é: porque é que o atletismo popular não cativa as camadas mais jovens?
Uma teoria acabada de inventar é que a corrida é por natureza um desporto solitário, sendo que desportos de equipa são mais apelativos devido à interação que promovem entre os jogadores, e, quando se é mais jovem, é mais importante estar integrado no grupo...
Final da corrida

Bom, no final de tudo valeu 44m02s para fazer os 10 km do percurso, com os últimos quilómetros em quebra, a ser ultrapassado indiscriminadamente por velhos e novos, algo a que não estou muito habituado. Geralmente costumo terminar as provas mais a ultrapassar do que a ser ultrapassado, caso recente das meias maratonas de Leiria, Lisboa e Nazaré, bem como na Maratona do Porto.
Finalmente, gostaria de recomendar vivamente para 2019 a corrida de S. Silvestre da Vila da Batalha, uma prova de excelente nível bem no centro do país!
Boas corridas e bom Natal!


domingo, 18 de novembro de 2018

Meia Maratona da Nazaré 2018


Tal como manda a tradição, rumou-se à Nazaré no segundo fim de semana de novembro a fim de correr a Meia Maratona popular mais antiga do país.

João Pedro - 10Km, Tempo Chip 00:39:38
O facto de ter as pernas moídas da Maratona do Porto no fim de semana anterior não foi razão para faltar a esta festa, que pessoalmente encaro sem qualquer objetivo de tempos ou outra qualquer conquista desportiva.
Paulo Amaro - Meia Maratona, Tempo Chip 01:30:06
Foi a minha 8ª participação na prova, o que confere um sentimento de familiaridade com todo o ambiente do evento, as ruas, o café onde tomamos a bica habitual, a vista da praia e do morro do Sítio,….
O conhecimento perfeito do percurso que nos espera deixa-nos algum conforto mesmo sabendo da dificuldade das subidas e da monotonia da ida à localidade de Famalicão onde se inverte o sentido da marcha e se dá o retorno rumo à meta na Nazaré.
Paulo Oliveira - Meia Maratona, Tempo Chip 01:35:24

Minutos antes do início da prova cai uma chuva diluviana tocada a vento que, obriga todos os atletas a procurar refúgio nas arcadas das portas ou mesmo simplesmente encostados às paredes, a fim de se protegerem da força do vento e da chuva.
Samuel Oliveira - Meia Maratona, Tempo Chip 01:37:34

Felizmente, quando se deu a partida já praticamente não chovia e assim se manteve durante toda a prova.
Este ano estivemos três irmãos na Nazaré, eu, o Samuel e o João Pedro, e o PelaEstradaFora Paulo Amaro.
L' Equipe
O João Pedro teve de alterar a inscrição da Meia Maratona para a Volta à Nazaré (10 K) por motivo de lesão, embora ainda assim terminou abaixo dos 40 minutos!
A classificação que interessa (😊) ficou assim:

Boa organização como sempre! Que assim se mantenha por muitos anos!

Boas corridas!